Foto: Francinildo Gonçalves

O colorido dos grupos folclóricos, da fauna e da flora dá o tom, este ano, à decoração do Centro Histórico de Barbalha, para os festejos do seu Padroeiro, de primeiro a 13 de junho próximo. Tudo com muito esmero e entusiasmo, como destaca o secretário de Cultura e Turismo, Rômulo Sampaio, anunciando que mais de 70 grupos culturais participarão do evento. Afinal, é a maior festa de Santo Antônio do mundo, como faz questão de ressaltar o prefeito Argemiro Sampaio.

A Praça da Matriz voltará a ser palco da programação religiosa e sociocultural. Logo após a novena em louvor ao Santo, às 19 horas, haverá quermesses, apresentações musicais e artísticas, comidas e bebidas típicas, bem como os leilões, em pelo menos dois dias das celebrações, que mobilizam a população e os milhares de visitantes. A festa faz parte da vida dos barbalhenses e é ela que abre os festejos juninos no Nordeste.

INGRESSO SOCIAL – “Só não vai quem não quer”, diz o prefeito Argemiro Sampaio, numa alusão ao Ingresso Social, que dá aos moradores de Barbalha gratuidade nos grandes shows promovidos no Parque da Cidade, durante a festa. Já há mais de 20 mil cadastrados e novos cadastros estão sendo feitos, na Secretaria de Governo. Basta levar RG, CPF, Título de Eleitor e comprovante de residência. Para quem já fez a biometria, entra no site www.barbalha.ce.gov.br para renovação dos dados.

NOITE DAS SOLTEIRONAS – Na Praça da Matriz, mais uma vez, ocorrerá a Noite das Solteironas, no dia primeiro de junho, um evento que se repete há 20 anos. Como atração, uma barraca comercializando produtos que “podem ajudar os interessados a conseguir um bom casamento”. São pedacinhos do Pau da Bandeira, imagens de Santo Antônio e simpatias para se chegar ao altar. A noite se encerra com show, no Parque da Cidade, reunindo Caboclo Nordestino, Joquinha Gonzaga e Fábio Carneirinho. No dia seguinte, 2, ocorrerá a abertura oficial da Festa de Santo Antônio, com missa, apresentações culturais, shows e o momento mais esperado: o Cortejo do Pau da Bandeira, que chega à Matriz, solenemente, no final da tarde de domingo.