Representantes da gestão municipal de Barbalha participaram de audiência pública sobre o aterro sanitário que deverá ser construído na Cidade. A audiência ocorreu na manhã desta quarta-feira, na Câmara de Vereadores, onde o assunto foi amplamente discutido e o representante do governo pode expor o andamento do projeto.

O recurso de 1,5 milhão já reservado para a construção do aterro não é o suficiente para a execução da obra. Mas a construção do aterro definitivo ainda depende da liberação de recurso, que o prefeito Argemiro Sampaio tenta junto ao governo federal e emendas parlamentares.

O secretário de Infraestrutura, Roberto Wagner, e o adjunto da Secretaria de Governo do município, Moises Feitosa, representaram o prefeito no evento. Eles ouviram as demandas dos vereadores, SEMACE, ONG’s ligadas ao meio ambiente e associações de moradores.

De acordo com o secretário, Roberto Wagner, as primeiras ações relacionadas ao equipamento que está em funcionamento já foram realizadas. Em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), o município já havia se prontificado e está executando ações como construção de guarita, murar a área, controle de pessoas que atuam como recicladores no espaço e a distribuição de EPI (Equipamento de Proteção Individual).